Teor e conteúdo de fósforo em grãos de soja na integração lavoura-pecuária-floresta

435

O objetivo do estudo foi avaliar o teor e o conteúdo de fósforo em grãos de soja, cultivada em sistema ILPF

Autores: Jaqueline Bento FARIAS(1); Géssica CARVALHO(2); Diego CAMARGO(1); Marina Julia FERREIRA(3) ; Valdir da Silva GONÇALVES(3); Maurel BEHLING(4)

Trabalho publicado nos Anais do evento e divulgado com a autorização dos autores.

Introdução

A integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) preconiza o efeito sinérgico entre os componentes agrícola, pecuário e florestal. No entanto, o efeito do consórcio entre os componentes pode ser positivo ou negativo. Para o sucesso do sistema é fundamental compreender o comportamento das interações entre seus componentes. O fósforo é um dos nutrientes que merece maior atenção para produção agrícola.

Deste modo, o objetivo do estudo foi avaliar o teor e o conteúdo de fósforo em grãos de soja, cultivada em sistema ILPF.

Material e Métodos

As avaliações foram realizadas na Embrapa Agrossilvipastoril (Sinop/MT), na safra 2015/2016, no quarto ano após a instalação do experimento. Os sistemas avaliados foram: 1) lavoura exclusiva (L) com soja na safra e 2) ILPF com cultivo de eucalipto em faixas de linhas triplas (3,5 x 3 m), na orientação leste-oeste, espaçadas 30 metros, cultivadas anualmente nos entre renques com soja. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados (DBC) com quatro repetições.

A amostragem dos grãos foi realizada no estádio de desenvolvimento R8. No tratamento exclusivo foram amostrados 5 pontos e na lavoura da ILPF as coletas foram a 3, 6, 10 e 15 metros de distância do renque central em 4 transectos equidistantes a cada 50 metros para face norte e sul (FN e FS). As amostras foram moídas em moinho tipo Willey, com peneira de 1 milímetro (mm) e posteriormente analisadas por absorção atômica para quantificação dos teores de P (g kg-1).

O conteúdo de P (kg ha-1) foi calculado com base nas concentrações e massa de grãos secos. Atendidos os pressupostos (normalidade e homocedasticidade) foi realizada a análise de variância e os efeitos dos tratamentos desdobrados através de contrates e as distâncias em relação ao renque das árvores comparadas através do erro padrão da média.

Resultados e Discussão

O teor de P diferiu significativamente apenas no contraste ILPF-FN vs ILPF-FS (p ≤ 0,037) com maior teor na FN (12,8 g kg-1). Já o conteúdo de P foi significativo entre lavoura exclusiva e ILPF (p ≤ 0,03) e nos contrastes L vs ILPF-FS (p ≤ 0,026) e L vs ILPF-FN (p ≤ 0,034). O conteúdo de P foi maior na lavoura exclusiva (31,4 kg ha-1) e na ILPF (24,3 kg ha-1) foi menor próximo ao renque das árvores (< 13,0 kg ha-1), não diferindo entre as faces de exposição ao sol.

A menor eficiência de absorção de P próximo ao renque, independente da face de exposição ao sol, indica que ocorreu competição das árvores com a soja pelo P.

Conclusões

O componente florestal alterou os teores de fósforo entre as faces de exposição ao sol e alterou o conteúdo deste nutriente nos grãos de soja cultivados na ILPF.

Palavras-chave: ilpf, macronutriente, Glycine max.

Apoio financeiro: CNPq, Embrapa e Rede de Fomento ILPF.

Informações dos autores:  

(1)Estudante de graduação, Universidade Federal de Mato Grosso/UFMT, Sinop, MT;

(2)Estudante de mestrado, UFMT, Sinop, MT;

(3)Estudante de graduação, Instituto Federal de Rondônia/IFRO, Colorado do Oeste, RO;

(4)Pesquisador, Embrapa Agrossilvipastoril, Sinop, MT.

Disponível em: Anais do XXXVI Congresso Brasileiro de Ciência do Solo, Belém – PA, Brasil,2017.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.